18.4.06

Intervenção de graffiti

Redação da Favela
CUFA fazendo do nosso jeito.

O Intervenção de Graffiti foi elaborado com o intuito de estar levando a grande Cuiabá uma arte pouco vista e compreendida ainda pela nossa sociedade, o graffiti, esta arte que nasceu dentro da periferia como uma forma de expressão social e que agora se tornou uma expressão artística do meio urbano contemporâneo.

Para que pudéssemos conhecer e ter contato com tal arte a CUFA convidou seis grafiteiros que são eles: Derf (SP), Shock (SP), Patrick (SP), Binho (SP), Bonga (SP) e Kendo da França (que está de passagem por dois meses em nosso país) para estar ministrando oficinas e palestras sobre a arte de grafitar para alunos de escolas municipais de nosso município.

A primeira escola foi a Marechal Rondon no bairro Alvorada na segunda-feira (10/04), onde os alunos puderam acompanhar bem de perto o desenvolvimento para se fazer uma arte com criatividade e sem vandalismo pelas ruas das cidades. Com lápis, papel e com muita atenção iam criando formas artísticas afim de demonstrarem aos grafiteiros o que eram capazes de fazer.

Na terça-feira (11/04) foi a vez do Colégio Orlando Nigro no bairro Pedregal, nem a chuva conseguiu fazer com que os alunos perdessem a atenção nas explicações dos grafiteiros que com muito jeito iam mostrando as diferentes maneiras de se fazer arte sem invadir o espaço alheio e os olhos curiosos acompanhavam cada traço dado pelos grafiteiros.

A tarde nossos grafiteiros começaram a fazer uma belíssima arte no muro lateral da Secretaria Municipal de Cultura (na Rua Campo Grande no Centro de Cuiabá) com aval do nosso Secretário Municipal de Cultura o Sr. Mário Olímpio. Encima de andaimes num sol de 37 graus eles iam grafitando elementos da cultura negra assim como da cultura cuiabana, todo o painel só terminado no fim do dia quando já não mais se via ônibus, nem pedestres, nem ruído de comércio.


Na quarta-feira (12/04) visitamos o Colégio Ranulfo Paes de Barros no bairro Santa Izabel onde os alunos não hesitaram ao ficar exposto a luz do sol para ver a arte nascendo nos muros antes sujos e vazios de sua escola que ficavam agora colorido e moderno.
Fomos também à antiga fazendinha, hoje denominada Complexo Pomeri. Nesta entidade a CUFA já vem desenvolvendo um projeto que visa o resgate de valores dos meninos internos através dos elementos da cultura Hip Hop que são eles: Break, Graffiti, MC e DJ. Com olhar tímido e introspectivo os internos conseguem ver na arte do graffiti a fulga dos pensamentos cotidianos, levamos para um lugar cinzento, cores vivas, arte, resgate.

Na quinta-feira (13/04) o Colégio Orzina de Amorin Soares no bairro Jardim Vitória teve seu muro principal grafitado com tucanos, araras entre outras vertentes do graffiti.
E para terminar todo este trabalho de inclusão da cultura Hip Hop através do graffiti com grande estilo, nossos artistas grafitaram o muro da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) na avenida Presidente Marques, juntinho a sede da CUFA – Cuiabá, com direito ao som no comando dos DJs Taba e Pulga e Wesley mandando um break no meio da avenida em horário de pico .

O Intervenção de Graffiti foi apenas uma semente plantada, pois, para que nossa planta dê frutos precisamos de um trabalho mais intenso e duradouro e para isso a CUFA-MT esta englobando ao seu núcleo o grafiteiro Patrick que veio diretamente de São Paulo para ficar seis meses ministrando cursos de graffiti a nós cuiabanos. Já está sendo produzido pelo nosso núcleo audiovisual um documentário que vai mostrar os batisdores, depoimentos e muito mais sobre o Intervenção de Graffiti.

“ é importante os meninos aprenderem desde pequenos que o graffiti não é um ato de vandalismo, embora, para o mercado alternativo o interessante é atingir os jovens que estão mais propícios a grafitar”

Binho

“ já sofri vários acidentes grafitando, um vez cai de um andaime de aproximadamente oito metros, mais é um risco necessário pra quem vê na arte do graffiti uma forma de expressão corporal.”

Derf

“ o graffiti em São Paulo é concorrido por isso nós viajamos muito fazendo trabalhos para arquitetos e etc. Fui uma vez para o Rio de Janeiro só para fazer um orçamento...”

Shock

“ minha arte diferencia dos demais pois eu sigo uma linha mais convencional que são traços mais definidos e nem por isso perdi credibilidade no que faço muito pelo contrário, há pessoas que me contratam justamente por não compreenderem ainda o graffiti “abstrato”...”

Bonga

“ tive dificuldades em fazer com que meus familiares entendesse o meu trabalho, para a maioria das pessoas o graffiti ainda é visto como um ato de vandalismo, demorou para eu conseguir fazer com que eles enxergassem que posso sobreviver desta arte e que meu trabalho não tem fundamento vandálico...”

Patrick


Bate papo com Binho e Derf

1- POR QUE VOCÊ COMEÇOU NO GRAFFITI? O QUE TE ENCANTA NO GRAFFITI?
Derf - Pela identidade,sou autodidata em desenho sempre desenhei,quando conheci o graffiti foi por influência dos amigos, na escola, a partir daí se tornou uma questão de honra: aprender, se aperfeiçoar e passar adiante. Não obstante,desde o começo - e só as pessoas mais próximas sabem disso,eu,por viver na periferia e sentir a dificuldade de se conseguir TUDO,decidi que se eu pudesse ajudar alguém através da arte,seja o graffiti,desenho ... eu o faria.Que bom que foi o graffiti! Agora não me encantei com o graffiti,me senti livre,LIBERDADE,essa é a palavra que eu acho q despensa argumentações,mas ainda me arrisco ,aqui,a não deixar nenhuma dúvida: quando me refiro à liberdade não é a de sair fazendo tudo que lhe convém, vandalizar e espalhar a desordem,e essas atitudes são circunstanciais, afinal: "para toda causa, existe um efeito!"

Binho - Em 84 na época eu era b-boy e andava de skt. A linguagem de rua era o que eu queira pra mim..
2- AFINAL COMO É QUE ESCREVE GRAFFITI? GRAFITE, GRAFFITI, GRAFITI, GRAFFITI... E POR QUE?
Derf - Se escreve : GRAFFITI; por uma lógica e descendência lingüística.Graffiti é um termo latino q é plural de graffito que significa "inscrição ou marca feita em paredes" foi muito utilizado no império romano,nas paredes dos templos eram feitos protestos e críticas veementes através dessas inscrições - os graffitis.

Binho - GRAFFITI (VEM DA PALVRA “GRAFFITO” DO ITALIANO
3- SER GRAFITEIRO É SER DO HIP HOP? QUAL SUA OPINIÃO?
Derf - Não necessariamente! esse tipo de classificação só cabe à pessoa que escolhe essa vertente, que é absolutamente vinculada ao hip hop por fatores políticos ,históricos e estéticos,para representar e ser representado - é muito pessoal!

Binho - Não necessariamente pois o Graffiti é o elemento muito mais antigo que a cultura do hip hop, e o que determina um grafiteiro não é a música que escuta mas sim sua atitude.
4- QUAL FOI O PRIMEIRO GRAFITEIRO DA HISTÓRIA?
Derf - Essa talvez a pergunta mais difícil.Dizer quem foi o primeiro "eu" não posso,até ,porque trata-se de uma informação muito delicada e historicamente confusa! derrepente todo mundo quer ser o primeiro em tudo... Mas veja bem! o grafiteiro que se destacou,ainda no surgimento dessa manifestação,foi TAKI 183,ele se tornou o mais conhecido por alastrar sua marca pela cidade de NY.
Binho - Isso é muito difícil de dizer mas o primeiro a ficar conhecido por seu roles foi o TAK 182
5- VOCÊ ACHA QUE A PIXAÇÃO É UM TIPO DE VANDALISMO?
Derf - Acho que é preciso se preocupar com fatores definitivos na formação de qualquer pessoa para poder ,então,se estabelecer e definir regras,tais como as ações que caracterizam o vandalismo. "enquanto houver ignorância haverá absurdos, desse modo vamos sempre pastar feito burros" (thaíde) mas defendo que: quando há a intenção de destruir e, principalmente ,na periferia,isso representa ,não só um vandalismo,mas uma violência moral.
Binho - ART VANDALISMO!!!
6- QUANDO UM GTRAFITEIRO COLOCA UM TAG NO BUSÃO, É UMA ARTE DO GRAFFITI OU VANDALISMO?
Derf - Qual a circunstância? dispenso a ironia ...
Binho - ART VANDALISMO!!
7- ANTIGAMENTE SEMPRE É MAIS DIFICIL ESSA É A FALA DE TODOS OS OLDSCHOOL, O QUE ERA DIFICIL ANTES QUE HOJE É SUPER FACIL?
Derf - Para quem não tem dinheiro e nem condições "claras"de se fazer algo ,não só ontem foi difícil, será sempre difícil . No entanto, a informação sempre representou a dificuldade,agora, hoje,é preciso tomar cuidado com ela por que pode estar formatada dentro de parâmetros corporativos ou estratégicos demais.
Binho - O RESPITO E A MORAL QUE A OLD SCHOOL CONQUISTOU PARA NOSSA CULTURA. Isso muda tudo mas é importante lembrar que hoje para um jovem conseguir espaço também é muito difícil.
8- QUAL É O SEU ESTILO DE GRAFFITI? JÁ FOI PRESO FAZENDO BOMB? O QUE PODE DIZER PRA RAPAZIADA QUE ESTÁ COMEÇANDO NO GRAFFITI?
Derf - Desenvolvo dentro dos conhecidos e tradicionais: 3-D_FREE STYLE_WILD STYLE_THROW-UP; agora,estamos num momento onde o graffiti se incorpora à arte contemporânea ,um processo mediado pelas galerias,onde a experimentação, que não é novidade no graffiti, passa a ser uma constante e múltipla forma de atuação dessa arte. Instalações e suportes ( suporte: material ou superfície onde se desenvolve o processo criativo - arte, telas, muros, madeira e metal são suportes), como a fotografia e as mídiasdigitais já são realidade dentro desse cenário em que o graffiti se torna MENINO PRODÍGIO. Para quem começa... : então comece estudando e dando duro, não se limite à criação ."NÃO SE PODE FAZER UM GRAFFITI SER SABER MANIPULAR UMA LATA DE SPRAY"

Binho - Eu gosto muito da pintar graffiti tradicional. Letras, personagens, abstratos, cenários e 3D. Eu realmente gosto do Graffiti como ele me foi apresentado. Já tive problemas como todo artista underground, tem que acreditar no seu sonho e fazer virar realidade, seguir aqueles que você respeita e acredita.
9- FAÇA UMA LEITURA DO GRAFFITI NA ATUALIDADE.
Derf - Acabei de fazer na resposta acima! mas acrescento que: está crescendo chegando à juventude e já tem status de adulto! FALANDO SOBRE MERCADO
Binho - Uma das principais culturas de arte no mando.
10- VOCÊ TEM NOÇÃO DE GQUANTO O GRAFFITI GERA $$ POR ANO?
Derf - Falta especificação na pergunta: em que setor,e, como? ou mesmo particularmente? para cada artista em seu trabalho! Sendo assim ,me reservo no direito de não responder essapergunta,também por fatores óbvios: eu atuo mais no meio social que empresarial e, tenho meu estilo de trabalho profissional.

Binho - não
11- QUANTAS REVISTAS ESPECIALIZADAS TEM NO BRASIL?
Derf - Em atividade só uma.
Binho - Só uma
12- QUAL É A TIRAGEM DA REVISTA E QUAL É A MÉDIA DE VENDA MENSAL?

Binho - 55 mil exemplares a cada dois meses.
13- QUAIS SÃO OS CRITÉRIOS PARA O GRAFITEIRO TER SEU GRAFITI NA REVISTA TERCEIRO MUNDO?

Binho - Qualidade e atitude.
14- QUANTOS GRAFFITEIROS TEM EM SAMPA E SOUBER NO BRASIL?
Derf - Não estimo .

Binho - Muitos !!!
15- QUAIS SÃO AS OPÇÕES QUE UM GRAFITEIRO TEM PARA SOBREVIVER NO MERCADO?
Derf - Ser bom no que faz e fazer com responsa! Porque mercado é mercado, não éa rua!
Binho - Trabalhar em várias ares.. como artista, web designer, pintar de comerciais e decorações, arte educador, fazer sua própria marca..E muito mais.
16- QUAL É O PREÇO EM MÉDIA QUE UM GRAFITEIRO COBRA PARA DAR UM WORKSHOP, PARA UMA INTERVENÇÃO E QUANTAS LATINHAS SÃO USADAS?
Derf - Depende, qual a circunstância? tudo têm de ser muito claro. Detalhamento e clareza

Binho - Isso depende do artista mas o normal é r$ 100.00 por dia de oficina e uma 30 latas para um painel mas a estrutura ..
17- PRA FINALIZAR CONTE UMA SITUAÇÃO DE RSICO QUE VC JÁ PASSOU FAZNEO GRAFFITI?
Derf - Fazer graffiti,principalmente na rua,sempre é uma situação de risco, quase todas as vezes que saio para pintar na cidade onde moro,mesmo sendo bastante conhecido,sempre rola stress,com a polícia e donos de muros muito autoritários. Mas o graffiti não precisa pedir muita autorização! A situação de risco mais difícil que já passei foi ser chamado, junto com um parceiro, de decorador de muros, uma senhora muito distinta nos classificou assim! paciência!

Binho - Pintando na linha e ter de sair fora dos cachorros ..isso foi no Chile em 97.

4 comentários:

yuri lima disse...

se binho ribeiro e mais graffiteiros vinheçem aqui em primavera do leste eu faria com que mais de 200 no minimo pessoas tivessem na aula pois o cara manja d+++++++++

yuri:__"snip"_____________

Anônimo disse...

Favor mandar no meu e-mail, o contato de algum grafiteiro, pra fazer uma arte em parede.

marquiiinhosjr disse...

olá preciso de uma arte infantil na parede externa da escola partícular aqui em Cuiabá. meu e-mail é marcosantoniojunior@live.com
fico no aguardo do contato

felipewella disse...

Belo Trabalho e Entrevista.
Gostaria do contato de grafiteiros que atuam em nossa cidade, Cuiabá-MT, para que eu possa desenvolver um espaço social.
No Aguardo.

Felipe T.
felipe@transmoviterramt.com.br